Todo mundo que já fez uma dieta sabe: perder peso não é uma tarefa fácil. Tem que ter força de vontade, determinação e muita disciplina. Mas, e se pudéssemos usar a força do pensamento para dar uma mãozinha?

De acordo com uma nova teoria, isso é possível! Com a “dieta do cérebro”, conseguimos treinar a mente para emagrecer e atingir o objetivo desejado na balança. Quer descobrir mais sobre o assunto? Nosso post de hoje conta tudo!

O papel do cérebro no emagrecimento

cérebro pode ser encarado como um computador central, que comanda todo o funcionamento do nosso organismo, mesmo quando não temos consciência disso. Diversas pesquisas de diferentes áreas da psicologia já provaram que aquilo acontece na mente tem o poder de influenciar em nosso organismo.

Para citar um exemplo sem ir muito longe: quando você está assistindo a um filme de terror, você se assusta de verdade, correto? O coração dispara, a respiração fica mais rápida, as pupilas dilatam. Tudo isso ocorre porque o cérebro interpretou aquela como uma situação de perigo — um perigo real.

Se ele é capaz de fazer isso, era claro pensar que também teria um papel central no emagrecimento. Agora, os cientistas estão conseguindo estabelecer melhor essa relação, que é demonstrada em livros como “Pense magro“, da terapeuta cognitiva Judith Beck, e “A dieta da meditação“, do nutricionista português Alexandre Fernandes.

Como treinar a mente para emagrecer

Algumas das técnicas ensinadas pelos autores dessas e outras obras podem ser facilmente reproduzidas por você, no seu dia a dia. Veja algumas dicas:

Faça um diário alimentar

Mantenha um caderninho (ou use um app, se você for mais tecnológico) com as anotações de tudo que você ingere durante o dia. Anote também os horários. Esse registro vai ajudá-lo a racionalizar melhor as escolhas que tem feito dos alimentos e a enxergar onde e quando estão acontecendo os excessos. 

Além disso, colocar no papel o seu plano alimentar ajuda a planejar melhor a distribuição das refeições durante o dia e a moderar o que está fora de lugar.

Aprenda a controlar as porções

Quando estamos com muita fome, tendemos a colocar no prato mais do que realmente precisamos. Na hora de se servir, principalmente em restaurantes do estilo self-service, controle seus impulsos de pegar um pouco a mais.

Caso você ainda esteja com fome quando terminar seu prato, sempre há a possibilidade de servir-se novamente.

Use as palavras corretas

A neurolinguística é a ciência que estuda a relação entre o cérebro e a linguagem. As palavras nos remetem a sensações. “Dieta”, por exemplo, traz a ideia de escassez, de privação. Substitua-a por expressões mais positivas, como “reeducação alimentar”.

O mesmo vale para “perder peso”. O verbo perder tem um significado negativo: quando se perde algo, deseja-se encontrar. E a última coisa que você quer é encontrar de volta os quilos que deixou para trás! Use “eliminar peso” no lugar. 

Aprenda a evitar os gatilhos de comida

Alguns estímulos externos provocam pensamentos que levam você a comer de maneira inadequada — escolher alimentos gordurosos, servir porções grandes demais, apelar para os doces etc. 

Identifique quais estímulos são esses e aprenda a contorná-los. Quando não for possível evitá-los, você conseguirá lidar melhor com eles.

Livre-se da culpa

A comida tem uma dimensão afetiva muito forte. Muitas vezes, um determinado prato funciona como um abraço de conforto. Ao comer, mesmo que alimentos mais calóricos, não se sinta culpado.

A culpa fará você se sentir mal consigo mesmo e desencadeará a vontade de uma comfort food, que são os alimentos aos quais você recorre quando está frustrado ou chateado.

Lembre-se que você pode comer

É muito comum pessoas que estão em processo de emagrecimento colocarem todas as coisas em duas categorias: “posso comer” e “não posso comer”. No entanto, é importante pensar que você pode comer de tudo. Mas não deseja, pois tem um objetivo maior.

O fato de não poder comer algo gera vontade. E a frustração da privação dispara a ansiedade, que é ruim para o processo do emagrecimento.

Permita-se uma ou outra indulgência

Quando se sente agredido, o organismo reage acumulando gordura — é um processo de sobrevivência básico. Quando você olha para aquele brigadeiro e morre de vontade de comê-lo, mas se controla, o corpo se sente agredido. O resultado? Acertou: acúmulo de gordura (justamente o contrário do que você queria!).

Por isso, permita-se um ou outro pequeno prazer de vez em quando (mas de vez em quando mesmo!).

Evite comer cansado

Chega do trabalho morto de fome e já vai logo abrir a geladeira e os armários procurando um lanche? Pois está na hora de mudar isso já! Quando cansado, você tende a escolher os alimentos mais calóricos.

Portanto, ao chegar do trabalho, vá tomar um banho, leia um pouco e descanse. Só depois vá à cozinha e prepare sua refeição.

Encontre alternativas para relaxar

É muito comum que as pessoas usem a comida como uma válvula de escape para o estresse e a ansiedade. Um pedaço de chocolate, uma taça de vinho, um copo de cerveja “só para relaxar”.

Encontre outras formas de liberar as tensões, como fazer artesanatos, dedicar-se a um hobby ou praticar meditação. Dessa forma, você vai gerir o estresse e a ansiedade sem recorrer aos alimentos.

Ajude sua mente na missão

Antes de sair sonhando acordado enquanto devora um hambúrguer, muita calma nessa hora: o mindset correto é um aliado forte na perda de peso. Mas, sozinho, não faz milagre!

Treinar seu cérebro para o emagrecimento certamente fará com que você tenha mais facilidade para alcançar seu objetivo. Mas essa programação mental precisa vir acompanhada do comprometimento com novos hábitos de vida.

Uma alimentação equilibrada e uma rotina de atividades físicas, pelo menos, três vezes por semana sempre terão seu lugar e seu papel na perda de peso. Aliás, esse é o único caminho para uma perda de peso saudável e eficiente.

Agora que você já descobriu como treinar a mente para emagrecer, compartilhe este post nas redes sociais e faça a informação chegar longe. Quanto mais pessoas tiverem o mesmo objetivo que você, mais fácil será manter a linha!

 

A RUNWAY indica…